Lição 2 - Imagens bíblicas da igreja

Li√ß√Ķes B√≠blicas Adultos 1° trimestre 2024 CPAD REVISTA: O CORPO DE CRISTO - Origem, Natureza e Miss√£o da Igreja no Mundo

Li√ß√Ķes B√≠blicas Adultos 1° trimestre 2024 CPAD

REVISTA: O CORPO DE CRISTO - Origem, Natureza e Miss√£o da Igreja no Mundo

Comentarista: Pr. José Gonçalves

Veja tamb√©m esta op√ß√£o de Li√ß√Ķes da Escola Dominical


TEXTO √ĀUREO

“Mas v√≥s sois a gera√ß√£o eleita, o sacerd√≥cio real, a na√ß√£o santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” (1 Pe 2.9)

VERDADE PR√ĀTICA

Por meio de cada imagem que retrata a Igreja, o Espírito Santo revela-nos o quão gloriosa ela é.


LEITURA DI√ĀRIA

Segunda - 2 Co 11.2

A Igreja retratada como virgem pura

Terça - 1 Pe 5.2

A Igreja como o rebanho de Deus

Quarta - 1 Pe 2.9

A Igreja como o sacerdócio real

Quinta - 1 Co 3.16

A Igreja como o santu√°rio de Deus

Sexta - 1 Tm 3.15

A Igreja como a Casa de Deus

S√°bado - 1 Co 12.12

A Igreja constituída como o Corpo de Cristo

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE

Efésios 5.25-32; 1 Pedro 2.9,10

Efésios 5

25 - Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela,

26 - para a santificar, purificando-a com a lavagem da √°gua, pela palavra,

27 - para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.

28 - Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo.

29 - Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhora igreja;

30 - porque somos membros do seu corpo.

31 - Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne.

32 - Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.


1Pedro 2

9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;

10 - vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.


Hinos Sugeridos: 75, 131, 400 da Harpa Crist√£

PLANO DE AULA

1. INTRODUÇÃO

A Bíblia apresenta diversas imagens que revelam um determinado aspecto da natureza da Igreja de Cristo. Nesta lição, abordaremos as seguintes imagens: A Noiva de Cristo; a Esposa de Cristo; o Rebanho de Deus; Geração Eleita, Sacerdócio Real, Nação Santa e Povo Adquirido; Corpo de Cristo; Santuário de Deus; Casa de Deus.


2. APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO

A) Objetivos da Li√ß√£o:

I) Elencar as imagens que descrevem o relacionamento com Cristo;

II) Pontuar as imagens que descrevem a função da Igreja;

III) Explicar as imagens da Igreja como habitação de Deus.


B) Motivação: Uma das imagens bíblicas mais gloriosas da Igreja é a que a apresenta como a habitação de Deus. Nesse caso, a Igreja é reconhecida na Bíblia como o Santuário de Deus, a Casa de Deus, ou seja, Deus a habita gloriosamente. Ter essa consciência teológica a respeito da natureza da Igreja como habitação divina é transformador.


C) Sugest√£o de M√©todo: Escreva em tiras de papel cada imagem b√≠blica da Igreja mencionada na li√ß√£o e seus respectivos s√≠mbolos. Antecipadamente, distribua cada tira de papel para cada aluno. √Ä medida que voc√™ avan√ßar na exposi√ß√£o dos t√≥picos, solicite que cada aluno leia respectivamente a sua tira de papel. A ideia √© que voc√™ introduza o assunto de cada t√≥pico com a participa√ß√£o dos alunos. Voc√™ pode ir preenchendo uma tabela na lousa √† medida que cada aluno mencione uma imagem e seu respectivo s√≠mbolo. Ao final da exposi√ß√£o da li√ß√£o, a classe ter√° um quadro completo das imagens b√≠blicas da Igreja na lousa. Esse √© um bom exerc√≠cio para fixar o conte√ļdo da li√ß√£o.


3.  CONCLUS√ÉO DA LI√á√ÉO

A) Aplicação: Cada crente que passou pela experiência de salvação, isto é, foi regenerado, justificado e santificado, faz parte da Igreja de Cristo. Nesse sentido, cada crente exerce uma função sacerdotal diante de Deus e diante do mundo. Por isso, a Igreja é uma instituição em que Deus habita. Assim, estimular os alunos para que vejam como privilégio divino participar do Corpo de Cristo é um dos propósitos desta lição.


4. SUBS√ćDIO AO PROFESSOR

A) Revista Ensinador Crist√£o. Vale a pena conhecer essa revista que traz reportagens, artigos, entrevistas e subs√≠dios de apoio √† Li√ß√Ķes B√≠blicas Adultos. Na edi√ß√£o 96, p.37, voc√™ encontrar√° um subs√≠dio especial para esta li√ß√£o.

B) Auxílios Especiais: Ao final do tópico, você encontrará auxílios que darão suporte na preparação de sua aula:

1) O texto “O Relacionamento Santificador da Igreja”, localizado depois do primeiro t√≥pico, aprofunda a compreens√£o a respeito do aspecto do relacionamento de santidade da Igreja com Cristo;

2) O texto “O Car√°ter cooperador do Corpo de Cristo”, ao final do segundo t√≥pico, amplia a reflex√£o a respeito da origem da concreta da Igreja de Cristo.


Palavra Chave: Imagem

INTRODUÇÃO

A Igreja de Jesus Cristo é retratada por uma série de imagens por meio das páginas do Novo Testamento. Cada uma delas revela um determinado aspecto da Igreja de Jesus Cristo. Assim, podemos contemplar imagens ou figuras que retratam o relacionamento; que descrevem a função ou mostram de que forma a Igreja é a habitação de Deus. Por isso, nesta lição, estudaremos as principais imagens bíblicas a respeito da Igreja de Cristo que comunicam o relacionamento, a função e a habitação dessa instituição criada por Deus.


I - IMAGENS QUE DESCREVEM UM RELACIONAMENTO

1. A Noiva de Cristo.

Sem d√ļvida alguma, a imagem da Igreja como a Noiva de Cristo √© uma das mais belas das Escrituras. Na verdade, a B√≠blia usa tanto a figura da noiva como a da esposa para representar a Igreja. Primeiramente, a Igreja √© descrita como uma “virgem pura” (2 Co 11.2). Conv√©m destacar que a palavra grega parthenos, traduzida em 2 Cor√≠ntios 11.2 como “virgem pura”, √© usada em rela√ß√£o a uma donzela que ainda n√£o contraiu n√ļpcias. √Č uma figura da Igreja como noiva trazendo uma ideia de castidade, pureza e fidelidade.


2. A Esposa de Cristo.

Paulo retrata, tamb√©m de forma vivida, a imagem da Igreja como esposa (Ef 5.25,26). Assim como √© destacada a pureza da noiva, √© tamb√©m a da esposa. Mas devemos ressaltar que esse relacionamento de Cristo com a Igreja √© fundamentado no amor - “Cristo amou a igreja” (Ef 5.25). N√£o √© como em um relacionamento frio, fundamentado apenas no dever, mas retrata um relacionamento fundamentado, sobretudo, na realidade do amor que se entrega e se sacrifica. Cristo cuida da Igreja e zela por ela porque a ama. Essa imagem de relacionamento amoroso entre Cristo e a sua Igreja deve ser o par√Ęmetro para o relacionamento de todos os casais crist√£os.


3. Rebanho de Deus.

Quando reuniu os presb√≠teros na cidade de √Čfeso, o ap√≥stolo Paulo os exortou (At 20.28). Aqui, a Igreja √© retratada como um rebanho de Deus. √Č uma met√°fora que ilustra a rela√ß√£o existente entre a ovelha e o pastor. Paulo deixa claro que esse rebanho custou um alto pre√ßo - o sangue de Jesus Cristo. Tendo em mente essa imagem, o ap√≥stolo Pedro tamb√©m p√Ķe isso em evid√™ncia (1 Pe 5.2,3). As palavras de Pedro devem servir de par√Ęmetro para todo pastor que cuida do rebanho de Deus. Na verdade, ele mostra o que o pastor n√£o pode fazer no seu trato com a igreja, pois ele deve ser um modelo para o Rebanho de Deus.


SINOPSE I

Imagens como a Noiva de Cristo, a Esposa de Cristo e o Rebanho de Deus descrevem o relacionamento da Igreja com Cristo.


AUX√ćLIO TEOL√ďGICO

O RELACIONAMENTO SANTIFICADOR DA IGREJA

O povo de Deus √© chamado ‘eleito’ no Novo Testamento porque Deus tem ‘escolhido’ a Igreja para fazer a sua obra nesta era, por meio do Esp√≠rito Santo, que est√° ativamente operante a santificar os crentes e conform√°-los √† imagem de Cristo (Rm 8.28,29).


Mais de cem vezes o povo de Deus √© chamado os ‘santos’ (gr. hagioi) de Deus, no Novo Testamento. N√£o se entenda as pessoas assim designadas como de condi√ß√£o espiritual superior, nem seu comportamento perfeito ou ‘santo’. (As muitas refer√™ncias √† Igreja em Corinto como ‘santos de Deus’ devem servir de ind√≠cio suficiente desse fato.) Pelo contr√°rio, ressalta-se novamente que a Igreja √© a cria√ß√£o de Deus e que, pela iniciativa divina, os crentes s√£o ‘chamados para serem santos’ (1 Co 1.2)” (HORTON, Stanley. Teologia Sistem√°tica: Uma Perspectiva Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2023, p.543).

II - IMAGENS QUE DESCREVEM FUNÇÃO

1. Geração eleita, sacerdócio real, nação santa e povo adquirido.

Assim como havia um povo de Deus debaixo do Antigo Pacto (Êx 19-5,6; Is 43.3), da mesma forma Deus possui um povo debaixo do Novo Pacto (1 Pe 2.9).


(a)   Gera√ß√£o eleita. A palavra grega genos, traduzida aqui como “gera√ß√£o” tamb√©m possui o sentido de “ra√ßa”. O Novo Testamento mostra que, em Cristo, tanto judeus quanto gentios fazem parte de uma s√≥ gera√ß√£o ou ra√ßa por causa do que eles t√™m em comum. N√£o h√° distin√ß√£o de ra√ßa, cor, sexo ou status social. Em Cristo todos formam a gera√ß√£o eleita.


(b)   Sacerd√≥cio real. Em sua Primeira Carta, o ap√≥stolo Pedro descreve os crentes que formam a Igreja de Cristo como os que exercem um sacerd√≥cio real (1 Pe 2.9). Essa imagem vem do antigo sistema sacerdotal lev√≠tico. Na Antiga Alian√ßa, Deus escolheu uma fam√≠lia, a de Ar√£o, para oficiar como sacerdotes, da mesma forma Ele fez na Nova Alian√ßa. Contudo, h√° uma diferen√ßa fundamental entre o sacerd√≥cio exercido debaixo da Antiga Alian√ßa e aquele exercido na Nova Alian√ßa. Ali, essa fun√ß√£o era reservada apenas para uma tribo, a de Levi. Dessa forma, a fam√≠lia escolhida para essa miss√£o foi a de Ar√£o. Por outro lado, debaixo da Nova Alian√ßa todo crist√£o √© um sacerdote. Agora todo crist√£o tem o privil√©gio de “queimar 0 incenso”, isto √©, de exercer um minist√©rio de ora√ß√£o e intercess√£o diante de Deus (SI 141.2).


(c)   Na√ß√£o santa e um povo adquirido (1 Pe 2.9). Ambos os termos v√™m adjetivados, mostrando o que essa na√ß√£o e esse povo eram, representavam e deveriam ser. N√£o era uma na√ß√£o ou um povo qualquer. Era uma na√ß√£o santa e um povo adquirido para Deus. Essa √© uma figura muito forte para retratar uma Igreja inteiramente consagrada a Cristo.


2. Corpo de Cristo.

Essa √© uma das imagens mais fortes e frequentes no Novo Testamento para retratar a Igreja. A Igreja √© o Corpo de Cristo! Mais do que uma organiza√ß√£o, a Igreja √© um organismo. Um organismo vivo! A analogia da Igreja como um corpo √© muito significativa. Primeiramente, porque retrata a harmonia e unidade que h√° no corpo. No corpo humano tudo est√° em seu devido lugar (1 Co 12.12). Todos os membros cooperam para o bom funcionamento do corpo (1 Co 12.21,22,25). Logo, nenhum membro faz menos parte do corpo que os demais: todos s√£o necess√°rios. A variedade de √≥rg√£os, membros e fun√ß√Ķes constitui a ess√™ncia da vida f√≠sica. Nenhum √≥rg√£o pode estabelecer um monop√≥lio no corpo, assumindo as fun√ß√Ķes dos outros.


Um corpo constituído por um só órgão seria uma monstruosidade.


SINOPSE II

Imagens como geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido e Corpo de Cristo descrevem a função que a Igreja exerce diante de Deus e do mundo.


AUX√ćLIO TEOL√ďGICO

O CAR√ĀTER COOPERADOR DO CORPO DE CRISTO

Os escritos de Paulo enfatizam a verdadeira uni√£o, que √© essencial na Igreja. Por exemplo: ‘O corpo √© um e tem muitos membros... assim √© Cristo tamb√©m’ (1 Co 12.12). Da mesma forma que o corpo de Cristo tem o prop√≥sito de funcionar eficazmente como uma s√≥ unidade, tamb√©m os dons do Esp√≠rito Santo s√£o dados para equipar o corpo ‘pelo Esp√≠rito Santo... o mesmo Senhor... o mesmo Deus que opera tudo em todos... para o que for √ļtil’ (1 Co 12.4-7). Por esta raz√£o, os membros do corpo de Cristo devem agir com grande cautela “para que n√£o haja divis√£o [gr. schisma] no corpo, mas, antes, tenham os membros igual cuidado uns dos outros’ (1 Co 12.25; cf. Rm 12.5). Os crist√£os podem ter essa uni√£o e m√ļtua solicitude porque foram todos ‘batizados em um Esp√≠rito, formando um corpo’ (1 Co 12.13). A presen√ßa do Esp√≠rito Santo, habitando em cada membro do corpo de Cristo, permite a manifesta√ß√£o leg√≠tima dessa uni√£o” (HORTON, Stanley. Teologia Sistem√°tica: Uma Perspectiva Pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2023, p.544-45).

III - IMAGENS QUE DESCREVEM HABITAÇÃO


1. Santu√°rio de Deus.

Muito embora seja comum identificar a Igreja a partir de sua estrutura arquitet√īnica, n√£o √© isso que a B√≠blia identifica como sendo uma Igreja. Ela √© o templo do Esp√≠rito Santo (1 Co 3.16). A Igreja √© retratada como sendo um santu√°rio, a habita√ß√£o de Deus. Individualmente, cada crente √© um templo do Esp√≠rito Santo (1 Co 6.19). Mas na sua forma corporativa, a Igreja √© retratada como sendo o santu√°rio de Deus (1 Co 3.16,17). Isso tamb√©m significa que Deus habita a Igreja. Ela √© seu templo. Nesse aspecto, o ap√≥stolo Paulo alerta sobre o perigo que h√° em se profanar o santu√°rio de Deus (1 Co 3.17).


2. Casa de Deus.

A Igreja √© descrita como sendo a “Casa de Deus” (1 Tm 3.15). Esse conceito da Igreja, como sendo a Casa de Deus, √© derivado do Antigo Testamento em que o povo de Deus √© retratado como a casa ou fam√≠lia de Deus. A na√ß√£o de Israel floresceu a partir da fam√≠lia de Jac√≥. Isso nos faz ver a import√Ęncia da igreja como uma institui√ß√£o social. Na base da sociedade est√° a fam√≠lia. Uma igreja forte √© formada por fam√≠lias igualmente fortes.


O inverso também é verdade - famílias fracas tornam-se igrejas fracas. Por trás de muitos problemas sociais está a desestruturação familiar. A recomendação de Paulo em 1 Timóteo revela que a Igreja se orienta por um padrão moral que deve nortear seu comportamento na sociedade.


3. O privilégio de ser Igreja.

√Ä luz do que estudamos nesta li√ß√£o, podemos fazer algumas considera√ß√Ķes. Primeira, a Igreja de Cristo √© uma institui√ß√£o formada por salvos que se relacionam com Deus e, por isso, eles fazem parte de seu rebanho. Segunda, a Igreja de Cristo √© uma institui√ß√£o formada de salvos que exercem uma fun√ß√£o sacerdotal diante de Deus perante o mundo. E, finalmente, a Igreja de Cristo √© uma institui√ß√£o em que Deus habita e vive. √Č um privil√©gio fazer parte da Igreja de Cristo!


SINOPSE III

Imagens como Santuário de Deus e Casa de Deus descrevem a Igreja como a habitação de Deus.


CONCLUSÃO

Nesta li√ß√£o aprendemos atrav√©s de imagens b√≠blicas o que a Igreja √© e que import√Ęncia ela tem. S√£o figuras que nos ajudam a compreender a Igreja tanto em seu aspecto institucional como funcional. Assim, essas imagens ajudam o crente a descobrir qual o seu lugar na Igreja, o Corpo de Cristo. Dessa forma, ele pode melhor cooperar para o perfeito funcionamento da igreja local.


REVISANDO O CONTE√öDO

1. De acordo com a lição, como a Igreja é descrita primeiramente?

Primeiramente, a Igreja √© descrita como uma “virgem pura” (2 Co 11.2).

2. O que a met√°fora do “Rebanho de Deus” ilustra?

√Č uma met√°fora que ilustra a rela√ß√£o existente entre a ovelha e o pastor.

3. O que o Novo Testamento mostra a respeito da “gera√ß√£o eleita”?

O Novo Testamento mostra que, em Cristo, tanto judeus como gentios fazem parte de uma só geração ou raça por causa do que eles têm em comum em Cristo.

4. O que a express√£o “Corpo de Cristo” retrata?

Retrata a Igreja.

5. Como a Igreja é retratada em sua forma corporativa?

Na sua forma corporativa, a Igreja é retratada como sendo o santuário de Deus (1 Co 3.16,17).


Share: